TRATAMENTO DE EFLUENTES

Os processos de tratamento de efluentes visam reduzir a emissão de substâncias poluentes na atmosfera, solo ou corpos d'água. As emissões decorrem principalmente de processos industriais, esgoto doméstico, veículos automotores e atividade agrícola.

Tratamento de águas residuais

tratamento de efluentesExistem quatro graus de tratamento: pré-tratamento, tratamento primário, tratamento secundário e tratamento terciário.

Pré-Tratamento:

O pré-tratamento ou tratamento preliminar visa retirar da água sólidos grosseiros ou separar quantidades excessivas de líquidos orgânicos, como óleos e graxas. É feito através de um dispositivo de retenção, freqüentemente através do gradeamento. Porém existem outros métodos como as peneiras estáticas e as peneiras móveis. A remoção de óleos e graxas pode ser feita através de caixas de gordura (domiciliares ou coletivas), da adaptação de um dispositivo removedor de gorduras em decantador, tanque aerado ou separador de óleo..

Tratamento Primário:

Consiste na remoção de poluentes inorgânicos, metais pesados e outros através de vários processos como sedimentação, floculação ou decantação. O principal objetivo nessa fase é obter um efluente clarificado. Este processo gera um lodo, que deverá ser manejado de maneira adequada, através do processo de adesamento de lodo.

É empregado para a remoção de sólidos em suspensão e material graxo (óleos e graxas). É também considerado tratamento primário o condicionamento do despejo visando seu posterior lançamento no corpo receptor ou ainda numa unidade de tratamento subseqüente (tratamento secundário/terciário). .

Tratamento de água e efluentes

efluentesOs poucos tratamentos de Efluentes existentes são jogados sem maiores conseqüências nos cursos de água processando-se a depuração por vias naturais onde um grande volume de água limpa e oxigenada diluía a pouca carga. Os microorganismos se encarregavam facilmente da degradação deste alimento inesperado sem interferir com a vida aquática. O aumento da população e da atividade industrial, entretanto, trouxe volumes de efluentes e esgotos em quantidade obrigando a construção de estações de tratamento para evitar maiores impactos ambientais, mortandade de peixes, mau cheiro e epidemias. O Tratamento de Efluentes e Tratamento de Esgotos podem ser tratados por via aeróbia, anaeróbia ou sistemas combinados. Em geral se usam diferentes grupos de organismos para reduzir a carga orgânica sendo utilizada com alimento. A rapidez de redução da carga orgânica em sistemas aeróbios é pelo menos 30 vezes mais rápida vindo daí o potencial de uso dos sistemas desenvolvidos. Medidas de Poluição para o Tratamento de Efluentes Uma medida da "força" poluidora do efluente ou esgoto considerado, pode ser dado pela demanda biológica de oxigênio (DBO) que se define como a quantidade de oxigênio dissolvido, consumido na incubação de um dado efluente, por determinado tempo, a 20° C. Se o período for de 5 dias chama-se de DBO5. A demanda química de oxigênio (DQO) é outra indicação do oxigênio necessário para oxidar a carga orgânica de um efluente e define-se como sendo igual ao número de miligramas de oxigênio que um litro de amostra do efluente absorverá de uma solução ácida e quente de dicromato de potássio. Como várias substâncias são oxidadas nestas condições, a DQO é normalmente maior que a DBO. Sua principal vantagem sobre a DBO é que é mais fácil e rápida para determinar.